Como a osteopatia pode te ajudar a eliminar o refluxo? Pular para o conteúdo principal

Como a osteopatia pode te ajudar a eliminar o refluxo?


A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma doença digestiva crônica que afeta um número crescente de pessoas no mundo e é uma das queixas gástricas mais comuns que induzem um indivíduo a consultar um médico. 

A azia e a regurgitação são os sintomas esofágicos mais predominantes da DRGE, mas os pacientes com a doença também podem ter sintomas extra esofágicos, como dor epigástrica, broncoespasmo e tosse crônica. 

Todos esses sintomas podem comprometer a qualidade de vida relacionada à saúde com modificação de hábitos alimentares e padrões de sono que têm um grande impacto no dia-a-dia normal. Além disso, a DRGE é uma doença multifatorial que pode ser complicada e difícil de tratar. 

Os fatores mecânicos, químicos, fisiopatológicos e funcionais que predispõem os pacientes à doença ainda estão sendo investigados. As principais causas do refluxo são:

Neste artigo vamos falar um pouco sobre a osteopatia, um plano de tratamento simples feito por terapeutas manuais (osteopatas) que pode ser extremamente eficaz no tratamento da Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE) conforme a literatura atual baseada em evidências.

O QUE É OSTEOPATIA? 

Há mais de um século, Andrew Taylor desenvolveu um sistema de prevenção e tratamento de doenças através de manipulação mecânica conhecida como Tratamento de Manipulação Osteopática (TMO). Ele identificou o sistema músculo-esquelético como uma chave para a saúde, e criou uma teoria de que todas as doenças eram o resultado de uma desordem anatômica associada a uma desordem fisiológica, denominada "Disfunção Somática" (SD).

O TMO consiste em uma série de técnicas manuais diretas, indiretas, combinadas, fluidas e baseadas em reflexos que são aplicadas especificamente a uma articulação ou não especificamente a uma área do corpo. 

As técnicas diretas aplicam impulso, contração muscular, carga fascial ou alcance passivo. Eles envolvem a barreira restritiva e usam uma força de ativação para alcançar a resposta do tecido e corrigir a DS. 

As técnicas indiretas, fluidas, balanceadas ou baseadas em reflexos não envolvem a barreira restritiva. Eles usam massagem facial, carga e descarga do tecido fascial, pressões hidráulicas e ajustes cranianos ou posturais.


Segundo o Registro Brasileiro de Osteopatas:

“O profissional que pratica a Osteopatia – o Osteopata – utiliza somente as mãos para realizar o diagnóstico osteopático e tratar de seus pacientes; para tal, é necessário que tenha uma vasta experiência teórica e prática da aplicação das técnicas manuais diagnósticas e terapêuticas osteopáticas. 
A Osteopatia é indicada, de uma forma geral, no tratamento das disfunções do corpo humano, principalmente mecânicas, onde ocorre uma alteração da função de alguma estrutura.” 

A osteopatia pode ser considerada um tipo de medicina complementar ou medicina alternativa. No tratamento de hérnias de hiato é feito uso da osteopatia visceral. Um estudo de 2014 demonstrou que o uso de o uso da terapia manipulativa osteopática no tratamento de um paciente com DGRE e hérnia de hiato apresentou significativas melhoras no quadro do paciente.

No Brasil ainda há uma dificuldade em encontrar profissionais habilitados para fazer este tipo de tratamento, porém na página do Registro Brasileiro de Osteopatas você pode encontrar uma lista de osteopatas registrados.

DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO x TRATAMENTO ALTERNATIVO

A Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE) é o diagnóstico gastrointestinal mais comum registrado durante as visitas ambulatoriais. Embora não seja considerada uma doença grave, é uma das doenças mais comuns do sistema gastrointestinal. 
Tem uma grande importância médico-social, com uma alta e crescente prevalência. Os sintomas e condições esofágicas associadas têm impacto negativo na qualidade de vida com reflexo sobre a economia da sociedade. 

Quando as terapias médicas padrão ou cirúrgicas não produzem o resultado desejado ou resultam em efeitos adversos, os pacientes podem recorrer a alternativas complementares ou tratamentos alternativos. 

Nos Estados Unidos, as despesas globais de Medicina alternativa está em dezenas de bilhões de dólares por ano. Métodos alternativos de tratamentos estão sendo investigados para evitar longos períodos de tratamentos com uso de medicamentos ou procedimentos cirúrgicos. 

Tratamento de manipulação osteopática (TMO), é considerado por alguns como uma forma de tratamento complementar ou alternativa. Ele é baseados em conceitos e abordagens únicas que permitem a autocura e processo de auto-regulação dentro do corpo.

Geralmente, 1 a 3 sessões de tratamento irão revelar se uma abordagem osteopática é útil e econômica para o paciente. O TMO proporciona relaxamento ao paciente, normaliza mecanismos de controle autonômico, alívio de sintomas e melhor controle sobre suas reações ao estresse.

OSTEOPATIA PODE SER USADA POR TODOS?

Combinar o TMO com nutrição adequada e outras estratégias naturais parece ser uma abordagem ótima e pode representar uma estratégia promissora. Embora este plano terapêutico possa não ser ideal para todos, a maioria dos pacientes poderia se beneficiar de seu uso. O efeito positivo do programa TMO sobre a qualidade de vida mostra que as aplicações viscerais podem ser úteis.

AULA ON-LINE GRÁTIS ENSINA COMO TRATAR O REFLUXO DE FORMA 100% NATURAL?

Se você tem interesse em aprender como usar um método baseado em estratégias naturais para eliminar as causas da gastrite e do refluxo, participe da nossa aula on-line grátis.


FONTES:

1-COLLEBRUSCO, Luca; LOMBARDINI, Rita; CENSI, Giovanna. An Alternative Approach to the Gastroesophageal Reflux Disease: Manual Techniques and Nutrition. Open Journal of Therapy and Rehabilitation, v. 5, n. 03, p. 98, 2017.
2-DINIZ, Leonardo Rios et al. Qualitative Evaluation of Osteopathic Manipulative Therapy in a Patient With Gastroesophageal Reflux Disease: A Brief Report. The Journal of the American Osteopathic Association, v. 114, n. 3, p. 180-188, 2014.
3-DINIZ, Leonardo Rios et al. Qualitative Evaluation of Osteopathic Manipulative Therapy in a Patient With Gastroesophageal Reflux Disease: A Brief Report. The Journal of the American Osteopathic Association, v. 114, n. 3, p. 180-188, 2014.

Postagens mais visitadas deste blog

Azia e Refluxo? Saiba tudo sobre betaína HCl (Cloridrato de betaína)

Você já ouviu da betaína HCl? Ela também pode ser chamada de betaína cloridrato, cloridrato de betaína ou hidrocloreto de betaína.
Ela é considerada um suplemento alimentar. Ela tem um papel muito importante para sua digestão, funcionando como um reforço do seu suco gástrico. Se você sofre de azia ou refluxo a betaína cloridrato, em muitos casos, pode ajudá-lo a eliminar a causa do seu problema de forma natural.
Deixe eu te contar rapidamente como descobri a betaína HCl (cloridrato de betaína)
Antigamente, quando eu sofria com azia e refluxo eu logo procurava meu médico que me recomendava medicamentos para reduzir a acidez do estômago como omeprazol. Eu começava a usar o medicamento e sentia um grande alívio. Isto me fazia pensar que o problema era realmente excesso de ácido no estômago.
Mas passado um tempo do tratamento eu comecei a perceber que na verdade o refluxo continuava, só não estava mais me provocando azia. Além disso, com o uso prologado dos "prazóis" comecei a senti…

Aloe vera no Tratamento de Úlceras, Gastrite e Refluxo

Pesquisa científica feita com 18 pacientes, 12 com úlceras e 6 com problemas relacionados, testou o uso da Aloe Vera (também conhecida como Babosa) sozinha, como forma de tratamento.
Os resultados foram impressionantes!



Dos 12 pacientes com úlceras, 100% tiveram cura clínica, e 11 deles não tiveram recidiva.
Dos 6 pacientes com problemas relacionados 5 tiveram recuperação total e uma desistiu do tratamento.
O tratamento consistiu em...

A IMPORTÂNCIA DOS PROBIÓTICOS NA CURA DA AZIA, GASTRITE E REFLUXO

O uso de probióticos pode auxiliar no tratamento de gastrite, azia e refluxo. Neste artigo é feita uma análise detalhada dos benefícios cientificamente comprovados do uso dos probióticos.