COMO CURAR HÉRNIA DE HIATO? Pular para o conteúdo principal

COMO CURAR HÉRNIA DE HIATO?

HÉRNIA DE HIATO



Toda vez que alguma parte interna do corpo se move para uma área a qual ela não pertence nós temos uma hérnia.

O hiato é uma abertura do diafragma, que é o músculo utilizado na respiração e que separa a cavidade torácica do abdômen.  
A hérnia de hiato ocorre quando uma parte do estômago passa pela abertura do diafragma e invade a cavidade torácica.

COMO OCORRE

A hérnia de hiato ocorre quando há um enfraquecimento do diafragma o que permite que o estômago passe pelo hiato. Por que isso acontece não está muito claro, pode ser devido a um aumento de pressão no estômago devido, por exemplo, à gravidez, obesidade, tosse ou algum esforço.

POSSÍVEIS CAUSAS

A hérnia de hiato pode ser causada por:

- Enfraquecimento da musculatura do diafragma e perda da elasticidade com o avançar da idade, baseando-se no fato de haver maior incidência em pessoas mais velhas. A perda do tônus muscular em volta da abertura do diafragma pode tornar mais fácil a passagem do estômago pelo hiato.
- Hérnias de hiato são mais comuns em mulheres, possivelmente devido à maior pressão abdominal que ocorre durante a gravidez.
- Segundo o Dr. Denis Parsons Burkitt, médico e autor de diversos livros e artigos científicos, a dieta ocidental, pobre em fibras leva a um estado de constipação crônica e é preciso fazer muita força para evacuar, o que poderia explicar a maior incidência da hérnia de hiato em países do ocidente.
- A obesidade predispõe o surgimento de hérnia de hiato devido ao aumento da pressão abdominal.
- Hiato mais largo que o normal (problema de nascimento) pode facilitar o surgimento de hérnias.
- Pressão excessiva e duradoura dos músculos da região do estômago, devido a tosses, vômitos ou carregar objetos muito pesados.

FATORES DE RISCO

Fatores que podem aumentar o risco de hérnia de hiato incluem:
- Estilo de vida sedentário
- Idade acima de 50 anos
- Obesidade
- Ter que fazer esforço para evacuar

SINTOMAS

Mais de 50% das hérnias de hiato não apresentam sintomas e são descobertas por acaso. Entretanto quando a hérnia de hiato é associada à Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE), a situação pode evoluir e pode haver piora dos sintomas.

Os sintomas mais comuns são:
  • Azia
  • Arrotos
  • Dificuldade para engolir
  • Fadiga
  • Dor no peito


HÉRNIA DE HIATO X REFLUXO

Segundo a Federação Brasileira de Gastroenterologia:

“A hérnia de hiato ocorre quando a parte alta do estômago está acima do diafragma, a parede muscular que separa o estômago do tórax. O diafragma ajuda o EIE (Esfíncter Inferior do Esôfago) a manter o ácido no estômago, impedindo que suba para o esôfago. Quando uma hérnia de hiato está presente, é mais fácil do ácido subir. Desta maneira, uma hérnia de hiato pode causar refluxo. A hérnia de hiato pode ocorrer em pessoas de qualquer idade; muitas pessoas sadias acima de 50 anos têm uma pequena.”

TIPOS DE HÉRNIA DE HIATO



Na hérnia de hiato por deslizamento a ligação entre o estômago e o esôfago sobe passando pelo hiato e parte do estômago fica acima do diafragma.

Na hérnia de hiato paraesofágica ou por rolamento a ligação entre o estômago e o esôfago permanecem em sua posição normal, porém uma parte do estômago é projetada para cima e ultrapassa o diafragma, ficando do lado do esôfago.

Na hérnia de hiato mista ocorre a mistura das duas anteriores, ou seja, além da junção esofagogástrica estar acima do diafragma, uma parte do estômago também se dobra e fica acima do diafragma ao lado.

As hérnias paraesofágica e mista são mais perigosas, pois pode haver o estrangulamento (ficar preso com perda da circulação) da parte do estômago que está fora do lugar o que pode provocar dor torácica aguda e necessitar de cirurgia imediata.

DIAGNÓSTICO

A hérnia de hiato pode ser diagnosticada através dos seguintes exames:
Raio X com contraste do esôfago
Endoscopia Digestiva Alta

TRATANDO A HÉRNIA DE HIATO DE FORMA NATURAL

É possível em muitos casos ter qualidade de vida e até mesmo reverter a hérnia de hiato de forma natural sem o uso de cirurgias.

O tratamento natural neste caso age de duas maneiras

1. Eliminar as possíveis causas.

Exercícios de Fortalecimento do Esfíncter Esofagiano Inferior

Um estudo científico de 2013 demonstrou que o uso de dois exercícios respiratórios específicos da yoga, chamados de pranayama, provocaram melhoras em pacientes com hérnia de hiato. Estes exercícios tonificam o diafragma e diminuem o refluxo do estômago para o esôfago.

http://bit.ly/CursoMAA


Dieta Saudável

A dieta é fator fundamental para a sua saúde digestiva. Como vimos anteriormente o Dr. Burkitt em seus estudos identificou que a dieta ocidental pobre em fibras e rica em carboidratos refinados pode contribuir também para o surgimento de hérnia de hiato.

Uma dieta balanceada, com mais alimentos naturais, frutas e verduras e menos alimentos industrializados é muito importante.

Se você quiser saber mais sobre como ter uma alimentação saudável no seu dia a dia e além disso se quiser aprender também como é a poderosa dieta anti refluxo, eu recomendo que conheça o Método Adeus Azia, pois neste curso on-line você vai aprender tudo o que precisa sobre alimentação para eliminar as causas do refluxo e prevenir o surgimento de hérnias de hiato.
http://bit.ly/CursoMAA


2.   Manobras para redução da hérnia de hiato e normalização do diafragma.

OSTEOPATIA

Segundo o Registro Brasileiro de Osteopatas:

“O profissional que pratica a Osteopatia – o Osteopata – utiliza somente as mãos para realizar o diagnóstico osteopático e tratar de seus pacientes; para tal, é necessário que tenha uma vasta experiência teórica e prática da aplicação das técnicas manuais diagnósticas e terapêuticas osteopáticas.
A Osteopatia é indicada, de uma forma geral, no tratamento das disfunções do corpo humano, principalmente mecânicas, onde ocorre uma alteração da função de alguma estrutura.”

A osteopatia pode ser considerada um tipo de medicina complementar ou medicina alternativa.

No tratamento de hérnias de hiato é feito uso da osteopatia visceral. Um estudo de 2014 demonstrou que o uso de o uso da terapia manipulativa osteopática no tratamento de um paciente com DGRE e hérnia de hiato apresentou significativas melhoras no quadro do paciente.

No Brasil ainda há uma dificuldade em encontrar profissionais habilitados para fazer este tipo de tratamento, porém na página do Registro Brasileiro de Osteopatas você pode encontrar uma lista de osteopatas registrados.

CIRURGIA

Em muitos casos a cirurgia simplesmente não é indicada, pois a pessoa consegue apresentar melhoras sem este recurso.  A cirurgia costuma ser indicada apenas como último recurso em casos de hérnia de hiato muito volumosas.

A cirurgia realizada consiste em diminuir a passagem do diafragma por onde passa o esôfago (hiato) e fazer uma válvula que irá impedir o refluxo, é chamada de fundoplicatura. Após a cirurgia o paciente deve manter uma dieta líquida e pastosa por cerca de 3 a 4 semanas.

Segundo alguns estudos o sucesso da cirurgia de fundoplicatura de Nissen no controle dos sintomas da Doença do Refluxo Gastresofágico é de cerca de 91%. Porém, além da taxa de insucesso de 9% existe ainda a possibilidade do surgimento de outros efeitos colaterais.

Problemas que podem ocorrer após a cirurgia

Pode haver complicações que incluem a “Síndrome da bolha gasosa”, que pode levar a um acúmulo de gás no estômago e no intestino delgado, podendo causar cólicas e dores abdominais frequentes.
Pode ocorrer a disfagia que é dificuldade para engolir.

Em muitos casos a pessoa operada não consegue mais arrotar e nem vomitar.

Síndrome de Dumping – que é uma reação do organismo à presença de grandes quantidades de alimentos no intestino decorrentes do esvaziamento gástrico precoce. Ela pode ser de dois tipos:

precoce: ocorre em até 30 minutos da ingestão do alimento e apresenta sinais como taquicardia, sudorese, sensação de morte e sonolência. O consumo de açúcar nestes casos pode piorar o quadro.

tardio: ocorre após 2 horas da ingestão do alimento e a pessoa apresenta quadros de hipoglicemia (baixa pressão, tontura e desmaios).




Participe da nossa aula on-line grátis em que eu vou explicar para você outras estratégias para eliminar a gastrite e o refluxo de forma 100% natural.







CONCLUSÃO

Como vimos a hérnia de hiato ocorre quando parte do estômago sobe em direção ao toráx passando pelo vão que existe no diafragma, chamado hiato. Na maioria dos casos a hérnia de hiato não apresenta sintomas e pode até passar despercebida. Quando a pessoa sofre da Doença do Refluxo Gastroesofágico, a hérnia de hiato pode acabar agravando os sintomas.

É possível reverter quadros mais simples de hérnia de hiato e eliminar o refluxo de forma natural. O Método Adeus Azia é um curso online completo que ensina para você estratégias 100% naturais cientificamente comprovadas para eliminar as causas do refluxo. Para saber mais sobre o curso, clique aqui.

Nos casos mais graves, em que há a presença de hérnias volumosas, ou em casos de hérnias paraesofágicas em que há risco de estrangulamento do estômago pode ser indicada a cirurgia. A taxa de sucesso da cirurgia para eliminar os sintomas do refluxo são elevadas (cerca de 91%) porém existe uma taxa de insucesso e o risco de algumas complicações após a cirurgia. Por isso é importante antes de realizar uma cirurgia ter uma conversa franca com o seu médico e avaliar as vantagens e desvantagens do procedimento.




REFERÊNCIAS:



  1. http://www.webmd.com/digestive-disorders/hiatal-hernia
  2. http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/hiatal-hernia/basics/causes/con-20030640
  3. http://www.tandurust.com/natural-home-remedies/hiatus-hernia.html
  4. http://www.fbg.org.br/Conteudo/198/0/Doen%C3%A7a-do-refluxo-gastroesof%C3%A1gico---DRGE
  5. http://www.mdguidelines.com/hernia-hiatal
  6. BURKITT, D. P. (Ed.). Refined carbohydrate foods and disease. Elsevier, p.163, 2012.
  7. MULLARD, KennethS. LOW-RESIDUE DIETS AND HIATUS HERNIA. The Lancet, v. 302, n. 7826, p. 451, 1973.
  8. DINIZ, Leonardo Rios et al. Qualitative Evaluation of Osteopathic Manipulative Therapy in a Patient With Gastroesophageal Reflux Disease: A Brief Report. The Journal of the American Osteopathic Association, v. 114, n. 3, p. 180-188, 2014.
  9. KASWALA, Dharmesh et al. Can yoga be used to treat gastroesophageal reflux disease?.International journal of yoga, v. 6, n. 2, p. 131, 2013.
  10. http://osteopatiacomfisioterapia.blogspot.com.br/2012/08/osteopatia-e-hernia-do-hiato.html
  11. DINIZ, Leonardo Rios et al. Qualitative Evaluation of Osteopathic Manipulative Therapy in a Patient With Gastroesophageal Reflux Disease: A Brief Report. The Journal of the American Osteopathic Association, v. 114, n. 3, p. 180-188, 2014.
  12. http://www.manuaismsd.pt/?id=127&cn=1084
  13. https://pt.wikipedia.org/wiki/Fundoplica%C3%A7%C3%A3o_de_Nissen
  14. https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_dumping
  15. GRANDE, L. et al. Value of Nissen fundoplication in patients with gastrooesophageal reflux judged by longterm symptom control. British journal of surgery, v. 81, n. 4, p. 548-550, 1994.
  16. DEMEESTER, Tom R.; BONAVINA, LUIGI; ALBERTUCCI, MARIO. Nissen fundoplication for gastroesophageal reflux disease. Evaluation of primary repair in 100 consecutive patients. Annals of surgery, v. 204, n. 1, p. 9, 1986.

Postagens mais visitadas deste blog

Azia e Refluxo? Saiba tudo sobre betaína HCl (Cloridrato de betaína)

Você já ouviu da betaína HCl? Ela também pode ser chamada de betaína cloridrato, cloridrato de betaína ou hidrocloreto de betaína.
Ela é considerada um suplemento alimentar. Ela tem um papel muito importante para sua digestão, funcionando como um reforço do seu suco gástrico. Se você sofre de azia ou refluxo a betaína cloridrato, em muitos casos, pode ajudá-lo a eliminar a causa do seu problema de forma natural.
Deixe eu te contar rapidamente como descobri a betaína HCl (cloridrato de betaína)
Antigamente, quando eu sofria com azia e refluxo eu logo procurava meu médico que me recomendava medicamentos para reduzir a acidez do estômago como omeprazol. Eu começava a usar o medicamento e sentia um grande alívio. Isto me fazia pensar que o problema era realmente excesso de ácido no estômago.
Mas passado um tempo do tratamento eu comecei a perceber que na verdade o refluxo continuava, só não estava mais me provocando azia. Além disso, com o uso prologado dos "prazóis" comecei a senti…

Aloe vera no Tratamento de Úlceras, Gastrite e Refluxo

Pesquisa científica feita com 18 pacientes, 12 com úlceras e 6 com problemas relacionados, testou o uso da Aloe Vera (também conhecida como Babosa) sozinha, como forma de tratamento.
Os resultados foram impressionantes!



Dos 12 pacientes com úlceras, 100% tiveram cura clínica, e 11 deles não tiveram recidiva.
Dos 6 pacientes com problemas relacionados 5 tiveram recuperação total e uma desistiu do tratamento.
O tratamento consistiu em...

A IMPORTÂNCIA DOS PROBIÓTICOS NA CURA DA AZIA, GASTRITE E REFLUXO

O uso de probióticos pode auxiliar no tratamento de gastrite, azia e refluxo. Neste artigo é feita uma análise detalhada dos benefícios cientificamente comprovados do uso dos probióticos.