O QUE É A DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO. Pular para o conteúdo principal

O QUE É A DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO.

O QUE É REFLUXO?
O refluxo ácido é um problema de saúde extremamente comum atualmente, segundo o “I Consenso Brasileiro da Doença do Refluxo Gastresofágico” a Doença do Refluxo Gastresofágico (DRGE) é um dos sintomas mais frequentes na prática médica. Muitas vezes a enfermidade é identificada pela ocorrência de pirose ocasional (azia), tosse crônica e asma refratária podendo variar desde não apresentar lesões nos casos mais simples até complicações sérias como o esôfago de Barret.
O principal sintoma do refluxo é a azia – uma sensação de queimação na região do meio do peito que algumas vezes pode chegar até a garganta. Em alguns casos a dor pode ser tão severa que é confundida com ataques do coração.
A medicina convencional trata o refluxo como se ele fosse causado por excesso de ácido em nosso estômago e este é o motivo de prescreverem medicamentos que inibem a produção de ácido gástrico.
Este é um erro grave e este conceito errado afeta milhões de pessoas pelo mundo, já que o problema normalmente é resultado de se ter uma baixa produção de ácido no estômago.



MAS O QUE CAUSA O REFLUXO?
Depois que a comida passa pelo seu esôfago e entra no estômago, um músculo que age como uma válvula chamado Esfíncter Esofagiano Inferior (EEI) se fecha. Isto evita que a comida ou o ácido do estômago suba pelo esôfago.
O Refluxo Ocorre quando o EEI relaxa no momento que não deve, permitindo que o ácido do estômago suba em seu esôfago (refluxo). Mas, veja bem, é importante destacar que o refluxo gastresofágico NÃO é causado por produção excessiva de ácido no seu estômago, mas é um sintoma comumente relacionado com:
  • Hérnia de Hiato


  • Hipocloridria ou Acloridria – a baixa produção de ácido no estômago pode provocar um relaxamento do EEI (que relaxado abre-se facilmente em momentos que deveria estar fechado, possibilitando o refluxo de conteúdo do estômago pelo esôfago).


  • Disbiose – o desequilíbrio da flora intestinal permite o crescimento de bactérias prejudiciais no nosso trato digestivo. Esses organismos prejudicam a absorção de nutrientes, dificultam a digestão e provocam fermentação durante a decomposição dos alimentos aumentando a pressão dentro do estômago, o que favorece a ocorrência do refluxo.


  • Helicobacter pylori – a infecção por esta bactéria afeta mais da metade da população mundial e já foi identificada como um carcinogênico (que causa câncer) Grupo 1 pela Agência Internacional de Pesquisa sobre o câncer, uma extensão da Organização Mundial da Saúde. O grupo 1 indica que há evidência suficiente de que provoca câncer em humanos.
Algumas condições acima não tem relação umas com as outras. Apesar disso muitas pessoas que apresentarem mais de uma ao mesmo tempo, por exemplo a pessoa tem hérnia de hiato também é infectadas por H. pylori, que pode causar uma pequena inflamação na mucosa do estômago resultando em uma úlcera ou gastrite. Se você tem uma hérnia de hiato, optar uma terapia física no local como a quiropraxia pode funcionar, procure um quiroprático habilitado neste tipo de ajuste.


O SEU REFLUXO ESTÁ SENDO CAUSADO POR EFEITOS COLATERAIS DE MEDICAMENTOS?
Além das causas já citadas acima, fique atento, pois alguns medicamentos podem causar gastrite, azia e refluxo. Os mais comuns são anti-inflamatórios e AAS, medicamentos para ansiedade e antidepressivos, antibióticos, medicamentos para pressão, osteoporose e medicamentos para dor. Sempre leia a bula do medicamento que está fazendo uso e verifique os possíveis efeitos colaterais relacionados para saber se o medicamento pode causar problemas no seu estômago.
Se o seu refluxo está sendo provocado por um remédio que você está utilizando, você deve identificar quando e como você está ingerido o medicamento. Não cometa o erro de simplesmente tomar outro remédio para combater o efeito colateral.
Veja algumas dicas que o site WebMD, um dos melhores sites sobre saúde do mundo, dá para aliviar a azia e refluxo provocados pelo uso de remédios:
  • Evite tomar mais do que a dose recomendada;
  • Alguns medicamentos devem ser ingeridos de estômago vazio enquanto outros causam menos problemas se forem ingeridos junto com as refeições. Verifique a bula para checar as instruções ou pergunte ao seu médico ou farmacêutico sobre a melhor forma de tomar seu medicamento.
  • Peça ao seu médico para avaliar todos os remédios e suplementos que você está tomando para verificar se um ou mais deles pode provocar azia e refluxo.
  • Mudar a dosagem ou substituir o medicamento por outro pode ajudar a aliviar a sua azia. Anti-inflamatórios estão disponíveis na forma de pomadas que podem substituir as pílulas e são menos prováveis de causar azia e refluxo.
  • Evite se deitar logo após ingerir seu medicamento, o ideal é esperar em torno de 20 a 30 minutos.
  • Beba chá de gengibre.

MEDICAMENTOS PARA REDUZIR A ACIDEZ DO ESTÔMAGO PODEM TE FAZER MAL
As drogas mais utilizadas hoje para gastrite, azia e refluxo são os inibidores da bomba de prótons (IBP), popularmente conhecidos como “prazóis” (omeprazol, pantoprazol, lanzoprazol, esomeprazol etc). Estas drogas são muito eficientes em inibir a produção de ácido do seu estômago.
Eles parecem ser o remédio adequado se considerarmos o fato de que o ácido do estômago está subindo em seu esôfago e provocando queimação. Apesar disso, na maioria dos casos o uso de IPBs é pior abordagem que pode ser feita, já que a principal causa do problema é normalmente relacionada com a baixa produção de ácido no estômago.
Existem hoje mais de 16.000 artigos científicos na literatura médica demonstrando que reduzir a produção de ácido no estômago não resolve o problema. Apenas alivia temporariamente os sintomas.
Medicamentos como Nexium (esomeprazol), Losec (omeprazol) e Pantopaz (pantoprazol) foram originalmente desenvolvidos para tratar uma gama limitada de problemas mais severos. De acordo com Mitchell Katz, diretor do San Francisco Department of Public Health (Departamento de Saúde Pública de São Francisco), que escreveu um editorial sobre este assunto há alguns anos, os IBPs só são indicados para o tratamento de:
  • Úlceras com sangramento
  • Síndrome de Zollinger-Ellison (uma condição rara que faz com que o estômago produza ácido em excesso)
  • Refluxo gastresofágico severo em que a endoscopia confirmou que o esôfago está danificado
De acordo com Katz, “entre 60 e 70 por cento das pessoas que tomam estas drogas tem azia e refluxo moderado e não deveriam estar utilizando-as”. Parte do problema com os IBPs é que quando você diminui a quantidade de ácido em seu estômago, você reduz a capacidade do seu corpo de destruir a bactéria H. pylori. Então se a sua azia é causada por infecção por H. pylori, ela irá piorar sua situação e perpetuar o problema. Além disso, diminuir a produção de ácido em seu estômago reduz o seu mecanismo de defesa primário contra infecções alimentares, o que aumenta o seu risco de contaminação por comida. Os IBPs também podem causar efeitos colaterais graves incluindo pneumonia, perda óssea, fraturas de quadril e infecção por Clostridium difficile (uma bactéria intestinal nociva).
CUIDADO: OS “PRAZÓIS” (IBPs) PODEM CAUSAR DEPENDÊNCIA
Uma coisa importante que você deve saber é que seu corpo desenvolve tolerância e depois dependência de drogas IBP. Então você não deve interromper de uma vez o uso destes medicamentos. É preciso ir diminuindo a dose gradualmente para evitar que você experimente um “efeito rebote” grave. Não é raro de acontecer de o problema acabar pior do que estava antes de iniciar o uso do medicamento.
O ideal é que você comece diminuindo a dose que você toma hoje e depois continue diminuindo gradativamente a sua dose. Quando você estiver na menor dose possível do IBP você pode começar a substituir por um bloqueador de H2 como Tagamet (cimetidina) ou Antak (cloridrato de ranitidina). E então ir diminuindo gradativamente o bloqueador de H2 também até para de vez com o medicamento. Consulte seu médico para te orientar.
Enquanto vai se livrando dos medicamentos (se for o seu caso) você deve começar implantar uma mudança no seu estilo de vida (incluindo dieta) que pode ajudá-lo a eliminar a causa do problema de uma vez por todas.
E OS ANTIBIÓTICOS?
Antibióticos são utilizados para erradicar o H. pylori, mas há outras estratégias efetivas que podem funcionar na erradicação e na prevenção de reincidência. O ideal seria que você primeiro tentasse estes métodos, já que o uso de antibióticos irá matar as bactérias benéficas do seu intestino, o que pode causar outras complicações de saúde. Além disso, o H. pylori está se tornando resistente a antibióticos o que torna o uso de tratamentos alternativos ainda mais importante.

TRATANDO NATURALMENTE – ALIMENTOS NÃO PROCESSADOS E PROBIÓTICOS
A melhor forma de tratar naturalmente a azia e refluxo é recuperar a função e equilíbrio do estômago. Comer grandes quantidades de alimentos processados e açúcar só irá piorar o seu refluxo e contribuir com o desequilíbrio das bactérias no estômago e intestino (disbiose). Você deve procurar comer muitos vegetais e outros alimentos com alto valor nutricional, não processados (e, se possível, orgânicos). O ideal também é evitar os chamados alimentos “gatilhos” que podem provocar azia e refluxo, os mais comuns são: cafeína, álcool e nicotina.
Além disso, certifique-se de estar consumindo bastantes alimentos probióticos. Eles irão ajudar a balancear a sua flora intestinal, que pode ajudar a matar a bactéria H. pylori, sem o uso de antibióticos. Os probióticos também auxiliam a ter uma melhor digestão e absorção dos alimentos. A melhor opção é que você obtenha o seu suprimento de probióticos de alimentos fermentados (kefir, kombucha, vegetais fermentados, iogurtes). Se você não está consumindo alimentos probióticos, deve tomar um suplemento probiótico regularmente. O ideal é você incluir uma variedade de comidas e bebidas fermentadas em sua dieta, já que cada tipo de alimento vai inocular o seu intestino com diferentes microrganismos.
NUTRIENTES QUE PODEM AUXILIAR A PRODUÇÃO DE ÁCIDO NO ESTÔMAGO
Você já deve ter lido acima que azia é sinal de ter uma baixa produção de ácido no estômago. Para estimular o corpo a produzir quantidades suficientes de ácido você precisa garantir que está consumindo os nutrientes necessários regularmente.
Um sal integral (não processado), como o sal do Himalaia, vai proporcionar ao seu corpo além do cloro necessário para fazer o ácido clorídrico mais de 80 minerais que irão ajudar o seu corpo a ter um excelente funcionamento bioquímico. O consumo de chucrute ou suco de repolho também é um ótimo estimulante da produção de ácido do estômago. Tomar, antes das refeições, algumas colheres de suco de repolho (se for fermentado melhor ainda) podem fazer maravilhas para melhorar a sua digestão.
Além disso, fazer uma ingestão de água de pelo menos 2 litros por dia é interessante já que todos os sucos digestivos possuem água como o principal elemento em sua constituição.

SETE ESTRATÉGIAS NATURAIS EFICIENTES PARA AJUDAR VOCÊ A ELIMINAR A GASTRITE, AZIA E O REFLUXO

Além de otimizar sua dieta e melhorar a sua flora intestinal com o consumo de probióticos, vou apresentar mais algumas dicas que irão ajudar você a dizer adeus à gastrite, azia e ao refluxo sem medicamentos. Vamos a elas:
https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xat1/v/t1.0-9/11218513_366940363510340_4086122146273264089_n.png?oh=4d0b408c5180c4a64d0b406d07488c6e&oe=55C1CFD3
VINAGRE DE MAÇÃ

Você pode facilmente melhorar a acidez do estômago, tomando uma colher de sopa de vinagre de maçã em um quarto de copo de água (50ml) de 15 a 20 minutos antes das refeições. Outra forma é utilizá-lo em saladas juntos às refeições.

Para melhores resultados use o um vinagre de maçã vivo, 100% natural, cru, não pasteurizado ou microfiltrado. Ele traz da maçã toda a sua rica gama de nutrientes e ácidos orgânicos fundamentais e contém mais de 300 compostos essenciais conhecidos
http://biovea.net/BR/images/products/lrg/2571_lg.jpg
BETAÍNA HCL

Nada melhor que combater a hipocloridria e a acloridria com suplemento de ácido clorídrico. A betaína HCl irá formar HCl no seu estômago e auxiliar na digestão e absorção de nutrientes importantes.

Recomendada por grandes especialistas no assunto como o Médico Jonathan V. Wright autor do livro “Why Stomach Acid is Good for You” (Porque o ácido do estômago é bom para você).

 Aloe Vera
GEL DE ALOE VERA
Diversos estudos demonstraram que o gel de Aloe Vera tem as seguintes propriedades:

- O gel inibe a pepsina. Que volta a ser ativada ao se ingerir algum alimento.
- O gel de Aloe Vera inibe a secreção de HCl das células parietais do estômago.
- O gel de Aloe Vera serve como um curativo, protegendo as áreas com úlceras de substâncias irritantes.

Utilize uma colher de sopa de gel de Aloe Vera antes de deitar-se para saber mais sobre Aloe Vera leia http://bit.ly/AloeVeraGel1L .
http://static.tuasaude.com/img/posts/2013/10/8933cbbee805a17dcebe90fd94c2a7fb.jpeg
ESPINHEIRA SANTA

Há diversos artigos científicos que comprovam a eficácia da Espinheira Santa no tratamento de úlceras pépticas e gastrite. Ela se destaca pela ação anti Helicobacter pylori e também pela proteção à mucosa do estômago.
Veja o vídeo http://bit.ly/EspinheiraSanta para saber como usar.

C:\Users\rjtegon\Desktop\iJumper\Gengibre.jpg
GENGIBRE

O gengibre demonstrou possuir efeito gastroprotetor, ação anti Helicobacter pylori e também efeito pró-cinético contribuindo para um esvaziamento gástrico mais rápido.
C:\Users\rjtegon\Desktop\iJumper\Glutamina.jpg
GLUTAMINA

Pesquisa científica de 2010 demonstrou que o uso de glutamina diminui os danos pela bactéria H. pylori no estômago. A glutamina  inibe a acumulação de amônia nas células resultando na prevenção das úlceras provocadas pela bactéria.
C:\Users\rjtegon\Desktop\iJumper\camomila.jpg
CHÁ DE CAMOMILA

Este chá pode ser um grande aliado no combate à gastrite pois apresenta propriedades protetoras da mucosa gástrica e ação anti H. pylori.

O ideal é ser consumido sem açúcar, se for utilizar adoçante use um natural como estévia. Pode ser consumido de 3 a 4 vezes por dia. O seu preparo deve ser uma colher de sopa em 150 ml de água.


VOCÊ PODE TRATAR O REFLUXO NATURALMENTE!
Vamos relembrar: a chave para tratar a gastrite, azia e o refluxo é recuperar o funcionamento do estômago. Equilibrar a sua flora intestinal é muito importante, pois irá aumentar a absorção de nutrientes e ter um papel significativo na sua saúde mental e física. Diversos artigos de especialistas deixam bem claro que não é possível ser saudável sem estar com uma ótima flora intestinal. Este é um dos motivos pelos quais você deve evitar açúcares, pois ele contribui para o desequilíbrio da flora intestinal (disbiose), prejudicando a sua saúde.
O primeiro passo que você deve dar é trocar os alimentos processados por alimentos naturais. Além disso, você deve estar consumindo alimentos probióticos como iogurte natural, kefir, kombucha e vegetais fermentados ou até mesmo suplementos de probióticos. Desta forma você irá equilibrar a sua flora intestinal e eliminar a bactéria H. pylori naturalmente.
Se você sofre de problemas de estômago as dicas apresentadas acima irão te auxiliar a dizer adeus à gastrite, azia e refluxo.
Além disso, você precisa analisar se o seu problema é de fundo emocional, neste caso é muito importante procurar tratar este aspecto. Existem algumas técnicas que podem auxiliar no controle emocional que podem te ajudar a ter uma vida mais saudável e feliz.
CASO VOCÊ QUEIRA ORIENTAÇÃO PASSO A PASSO E ACOMPANHAMENTO INDIVIDUALIZADO, eu encorajo você a realmente a fazer o curso  MÉTODO ADEUS AZIA 1.0 nele você vai aprender tudo que precisa para eliminar as causas da gastrite, azia e refluxo de forma 100% natural; como se alimentar no dia a dia e também qual a mais poderosa dieta anti-refluxo e quais os melhores suplementos naturais indicados para o seu caso. Tudo isto é explicado passo a passo para que você possa seguir com facilidade.
Saiba mais sobre como fazer o curso em: www.metodo.adeusazia.com.br



FONTES:

  1. KATZ, Mitchell H. Failing the acid test: benefits of proton pump inhibitors may not justify the risks for many users. Archives of internal medicine, v. 170, n. 9, p. 747-748, 2010.
  2. TEGON Junior, Aloe Vera Gel no Tratamento de Úlceras Pépticas e Gastrite. <http://www.adeusazia.com.br/2015/03/aloe-vera-gel-no-tratamento-de-ulceras.html>. Acesso em 29/05/2015.
  3. NANJUNDAIAH, Siddaraju M.; ANNAIAH, Harish Nayaka Mysore; DHARMESH, Shylaja M. Gastroprotective effect of ginger rhizome (Zingiber officinale) extract: role of gallic acid and cinnamic acid in H. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, v. 2011, 2011.
  4. KO, Joshua K.; LEUNG, Catherine C. Ginger extract and polaprezinc exert gastroprotective actions by antioxidant and growth factor modulating effects in rats. Journal of gastroenterology and hepatology, v. 25, n. 12, p. 1861-1869, 2010.
  5. WU, Keng-Liang et al. Effects of ginger on gastric emptying and motility in healthy humans. European journal of gastroenterology & hepatology, v. 20, n. 5, p. 436-440, 2008.
  6. AMAGASE, Kikuko et al. New frontiers in gut nutrient sensor research: prophylactic effect of glutamine against Helicobacter pylori-induced gastric diseases in Mongolian gerbils. Journal of pharmacological sciences, v. 112, n. 1, p. 25-32, 2010.
  7. KARBALAY-DOUST, Saied; NOORAFSHAN, Ali. Antiulcerogenic effects of Matricaria chamomilla extract in experimental gastric ulcer in mice. Iranian Journal of Medical Sciences, v. 34, n. 3, p. 198-203, 2015.

Postagens mais visitadas deste blog

Azia e Refluxo? Saiba tudo sobre betaína HCl (Cloridrato de betaína)

Você já ouviu da betaína HCl? Ela também pode ser chamada de betaína cloridrato, cloridrato de betaína ou hidrocloreto de betaína.
Ela é considerada um suplemento alimentar. Ela tem um papel muito importante para sua digestão, funcionando como um reforço do seu suco gástrico. Se você sofre de azia ou refluxo a betaína cloridrato, em muitos casos, pode ajudá-lo a eliminar a causa do seu problema de forma natural.
Deixe eu te contar rapidamente como descobri a betaína HCl (cloridrato de betaína)
Antigamente, quando eu sofria com azia e refluxo eu logo procurava meu médico que me recomendava medicamentos para reduzir a acidez do estômago como omeprazol. Eu começava a usar o medicamento e sentia um grande alívio. Isto me fazia pensar que o problema era realmente excesso de ácido no estômago.
Mas passado um tempo do tratamento eu comecei a perceber que na verdade o refluxo continuava, só não estava mais me provocando azia. Além disso, com o uso prologado dos "prazóis" comecei a senti…

A IMPORTÂNCIA DOS PROBIÓTICOS NA CURA DA AZIA, GASTRITE E REFLUXO

O uso de probióticos pode auxiliar no tratamento de gastrite, azia e refluxo. Neste artigo é feita uma análise detalhada dos benefícios cientificamente comprovados do uso dos probióticos.

Aloe vera no Tratamento de Úlceras, Gastrite e Refluxo

Pesquisa científica feita com 18 pacientes, 12 com úlceras e 6 com problemas relacionados, testou o uso da Aloe Vera (também conhecida como Babosa) sozinha, como forma de tratamento.
Os resultados foram impressionantes!



Dos 12 pacientes com úlceras, 100% tiveram cura clínica, e 11 deles não tiveram recidiva.
Dos 6 pacientes com problemas relacionados 5 tiveram recuperação total e uma desistiu do tratamento.
O tratamento consistiu em...